sábado, 23 de abril de 2011

Exposição " O mundo mágico de Escher"

Adoro morar em São Paulo, cada hora aparece uma nova opção de lazer. Desta vez é uma exposição ótima no CCBB, a entrada é grátis mas a visita é um presente aos olhos.
Para  quem torce o nariz quando escuta a palavra Exposição é bom espiar um pouquinho e deixar-se afetar pelo encantamento da arte. Algumas obras desafiam a lógica, causam sensações que vão do fascínio ao espanto. muitas são interativas e palavra genial descreve em parte o que será visto por quem aceitar a sugestão de passeio. Aproveitei o feriado e fui com minha filha, voltaremos com calma pois estava lotado.
Abaixo segue o link da página do Centro Cultural do Banco do Brasil.
http://www.bb.com.br/portalbb/page511,128,10173,1,0,1,1.bb?codigoEvento=3721

domingo, 17 de abril de 2011

Wish You Were Here

Tradução:
"Então,
Então você acha que consegue distinguir
O paraíso do inferno
Céus azuis da dor
Você consegue distinguir um campo verde
de um frio trilho de aço?
Um sorriso de um véu?
Você acha que consegue distinguir?

Fizeram você trocar
Seus heróis por fantasmas?
Cinzas quentes por árvores?
Ar quente por uma brisa fria?
Conforto frio por mudança?
Você trocou
Um papel de coadjuvante na guerra
Por um papel principal numa cela?

Como eu queria, como eu queria que você estivesse aqui
Somos apenas duas almas perdidas
Nadando num aquário
Ano após ano
Correndo sobre este mesmo velho chão
O que encontramos?
Os mesmos velhos medos
Queria que você estivesse aqui"

E mesmo sem saber o que ela dizia já acordava tantas sensações, algumas canções atravessam gerações e esta é uma delas.

Pink Floyd - Wish You Were Here

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Mulher aos olhos de um homem que sabe ver

Recebi um email de uma amiga, resolvi compartilhar aqui a mensagem, não é nenhuma novidade para muitos que  por sorte ou sabedoria descobriram com a vida que a força maior vem da alma, da vontade de simplesmente ser, músculos e vigor muitas vezes são ineficazes, e no meio de tanta frieza entre as relações amorosas é bom ler algo assim pra aliviar a tensão. Muitos homens se acham, visualizam sua vida como o ápice da existência, a velha história da última bolachinha do pacote, para todos estes que certamente ainda buscam o que não existe algumas palavras bem escritas.

"Tenho apenas um exemplar em casa, que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém. 
Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro.
Beijos matinais e um 'eu te amo’ no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Flores também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.
Respeite a natureza. Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia.
Não faça sombra sobre ela. Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda. 
Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. 
O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo. 
É, meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire gay. Só tem mulher quem pode! "

Luiz Fernando Veríssimo.

sábado, 9 de abril de 2011

Educação e sociedade

Impossível não ser afetada com o ocorrido no RJ, como mãe, professora e ser humano estou com um nó na garganta, meio atordoada, aquelas crianças tinham a idade da minha filha e como ela um futuro com tantas possibilidades.
Quando nós contribuímos para criar estes monstros? Qual a participação de cada um seja pela omissão, julgamentos e desprezo? Será que nós professores ainda temos caminhos para traçar cenários melhores?
Cada vez que ouço uma reclamação de pais desinformados que transferem para a escola a responsabilidade de educar o filho ou me deparo com uma criança negligenciada em direitos básicos me questiono sobre até que ponto posso fazer algo. O mundo está virado e nós nos sentamos em nossos sofás macios e ligamos nossas TVs   de alta definição para assistir o horror e chorar com toda nossa emoção, e depois cada um deita na sua cama e dorme.
Sociedade nojenta que para o calendário para sambar e extravasar sua libido mas é incapaz de discutir sua parcela de culpa nestas tragédias. 
Cada vez que ouço alguém se vangloriando do aumento do poder de compra da população brasileira sinto uma profunda vontade de retrucar, "E aí otário o que você vai fazer com tanta muamba na hora que todos surtarem?" mas como preciso me ajustar pra conviver com o mínimo de cordialidade devolvo apenas o silêncio, e participo desta podridão de coisificar as relações, quem tem mais vale mais, quem tem menos nem é citado.
Os muros das escolas ficam maiores, as crianças são trancadas em suas casas, depois nas instituições educacionais e com jornadas extendidas afinal quem aguenta elas em casa, os pais trabalham o tempo todo e não tem tempo pra conviver, pra conversar, brincar ou demonstrar algum tipo de sentimento pela cria, e todos crescem sem saber amar, vivemos o tempo dos amores virtuais, dos amigos das redes sociais, e na vida real a maioria tem medo de se apegar. Olhando todo este cenário o que resta pra lutar? Já amei mais minha profissão, caem por terra objetivos e certezas que me acompanharam desde a adolescência.
A sociedade está podre e a educação escorrega ribanceira abaixo, e as grandes redes de tv enriquecem transmitindo a barbárie com seus absurdos índices de audiência.
Educação vem de berço já dizia a minha bisavó, sentem com seus irmãos, pais, filhos, cônjuges e conversem mas sem fundo sonoro de tv, pensem no cotidiano e vejam o quanto a vida é valiosa, nenhum padrão de beleza ou econômico pode ser maior que viver num lar feliz. Continuarei incomodada mas me permito escrever pra deixar a água correr por baixo da ponte. neste momento me sobra cuidar do jardim que estou tentando cultivar, abrir minhas portas para quem quiser conversar e ser apenas humana, cansei de tentar resolver problemas impossíveis, dar aula não salva o planeta, nem sou artista de tv o que falo não conta nesta sociedade de ídolos.
Esta noite olharei para lua e contemplarei o belo para aliviar meus olhos e manter meu equilíbrio!

domingo, 3 de abril de 2011

Aniversário



Alegria de contar os anos e ver a vida tornar-se mais interessante, os problemas menos assustadores, e celebrar com quem nos ama, celebro os abraços da minha mãe, o nascimento e companhia da minha filha, o meu sobrinho que ganhei de presente de aniversário há dez anos atrás, celebro minha fase no ninho, plantando sabores e perfumes, tecendo beleza e carinho, celebro estar viva hoje rodeada de amor!
Hoje me dei rosas, até ontem não gostava delas. A pouco me acostumei a dormir cedo, o mundo não vai acabar se algo ficar inacabado. Voltei a tomar banho com bucha vegetal, e abandonei os inúmeros cremes que me tomavam tanto tempo. Decidi lutar pelas coisas que dependem do meu empenho, as que aguardam decisões ou comportamentos alheios não me cabem mais, um dia de cada vez e o que acontecer certamente já está traçado pelo destino. Estou mais alegre, com uma calma que nem sabia que habitava dentro de mim, mais esquecida e sem nenhuma vergonha em admitir, mais jovem apesar dos anos marcados nas velas afirmarem o contrário!