segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Palavrices

Férias com chuva para alguns é algo ruim...mas em casa quentinha com um pouco de sossego não resisto ao aconchego das letrinhas, umas para ler, outras para escrever.
E nestes dias brinquei um pouquinho, seguem alguns sopros, assovios e grunhidos...

*
Me interessa o que fui, o que sou, o que posso vir a ser.

*
Num canto vazio
um corpo vadio
transborda lamentos.

O corpo cansado
marcado, suado
procura alimento.

O corpo no copo.
*
A poesia é
a lágrima que não sei derramar,
o leite que não pude beber.
A vida que pensei ser minha...
e não cheguei a ter.
*
Desatento

Mesmo sem você ouvir a história aconteceu.
Mesmo sem te interessar a vida prosseguiu.
E sem você perceber, me percebi sozinha.

*
Não queria ser poeta, pois a saudade que ampara a caneta.
Queria ser bicho, sentidos saciados sem argumento.
Só corpo, só carne...
Não queria ser poeta, bastaria ser feliz.

*
Combinam a carne, o gosto, o cheiro.
Desconhecem essência, decência, piedade.
Suor, rangido, atrito, prurido.
Silêncio, plásticos cortados.
Palavras, facas afiadas.
Combinam o sêmen, separam a alma.
*
Palavrices, brincadeiras, brincalavras, palavras.

sábado, 24 de dezembro de 2011

Natal e saudade...

Natal é um dia triste pra mim...Lembranças de pessoas que partiram para sempre, e outras pelas distâncias momentâneas da vida...
Nos últimos anos tem sido rotina passar a data meio isolada, é esquisito, enquanto todos compram presente, telefonam, desejam felicidades...
Lembro da primeira árvore que enfeitei, estava prestes a ganhar minha filha e foi um ritual bonito, não pela árvore em si, mas por toda esperança que pendurei nos galhos junto com cada bolinha colorida.
Adorava preparar a ceia, ficava o dia todo no fogão, fazia questão de preparar tudo pessoalmente com capricho, agora prefiro nem ovo fritar.
Com o tempo minha filha foi cescendo e a brincadeira ficou meio mágica, nós duas e as grandes especulações da existência ou não do velhinho de vermelho, e as táticas para esconder o presente no telhado, já que nesta época morava num cômodo pequeno coberto de telha brasilit, quente, abafado e sem nenhuma chance de chaminé, mas tinha tanta magia naquele barraco, hoje a casa é mais confortável mas esses encantos foram substituidos pela correria do cotidiano.
O primeiro Natal que passei separada da minha filha foi de longe o mais triste, ela com oito anos e eu...com toda saudade de um tempo que não voltaria mais. Este será o quarto natal separadas, conto um por um...nos anteriores ainda montava a árvore, mas neste preferi deixar esta história de lado, é difícil para ela também...eu sei. Quando ela fica é diferente, parece que meus olhos enxergam melhor.
Costumo ser debochada, meio fanfarrona com a vida, mas a data da comemoração do nascimento de Jesus me traz uma saudade... da minha bisavó e nossas conversas da madrugada quando acordava para ler a bíblia para ela e orar de memória o salmo 91, depois ouvir seus conselhos que até hoje me acompanham, do seu jeito de fazer angú, das suas mãos velhinhas, enrugadas que trançavam meus cabelos. Saudade da minha vó, do calor do seu abraço nos reencontros durantes as férias, das latas de doce que ela fazia só para mim... sempre que vejo figo em calda me dá um aperto no coração, seus mimos paciência tornaram a minha infância mais feliz. Duas mulheres pequenas no tamanho e grandes no coração, quando sonho com elas fico com uma sensação de voltar no tempo.
Este Natal estou mais esquisita, nem sei explicar, talvez o fato de parar e pensar nas pessoas que entram e saem da vida me faça perceber o quanto tudo é finito.
Mais tarde vou correr para o colo de uma amiga, comer panetonne e tocar em frente, um dia triste no ano já basta.

sábado, 26 de novembro de 2011

Apaixonada

Fui arrebatada com todo exagero que a paixão permite, estou apaixonada, sem meios termos, os que vieram antes que me perdoem...
Terminei finalmente a leitura do meu livro querido, trapaciei, reli umas folhas, era tão bom tê-lo por perto, mas a chuva numa tarde de sábado em plena primavera  fez-me encerrar esta relação tão intensa.
Eu e Balzac nesta cidade doida que nos dias quentes exala feromônio do asfalto brilhante e nos dias frios encerra seus habitantes nas caixinhas de morar...E assim com chuva a bater na janela me apaixonei por Balzac, nem Shakespeare, Neruda, Suzak e tantos outros que passaram por minhas mãos me fizeram sentir assim, refletir sobre a mulher que sou e a mulher que desejo ser.
E depois dessa confissão sobra-me indicar a leitura A MULHER DE TRINTA ANOS de Honoré de Balzac.

sábado, 12 de novembro de 2011

Devolutivas

Falo, reclama.
Calo, reclama.
Reclamo, briga.
Desapareço,vem a  procura.
Procuro, acho o silêncio.
Esquece, esqueço...
Passo...
Olha o tempo e me conta.
Me toca e cala!
Sentido, sem sentido.
Passado...
Perdido?
Encontra o corpo, esquece a alma.
Sei bem é fragmentado, fatos, rastros.
Essas lacunas são cheias de passos...
E caminhos que caminhavam juntos...
Ficam assim separados.
Sem pressa, sem tempo!
Sem jeito de seguir em frente.
Devolva-me o que te cansa,
sei um jeito de carregar sem te pesar.
Mãos vazias duram pouco!

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Testes de uma iniciante na culinária de CupCakes

Estou quase maluca, com uma infinidade de coisas para finalizar, mas como ninguém é de ferro, pensar em docinhos é uma boa forma de acalmar a tensão.
Tinha uma receita de bolo de chocolate que adoro, resolvi fazer umas adaptações e uso agora para fazer CupCakes, os primeiros foram verdadeiros fiascos mas agora já estão bem gostosos.
Algumas dicas preciosas:
Use forminhas de metal para dar forma aos cupcakes, eles são assados direto nas forminhas de papel, mas sem as bases de metal, eles ficam tortos e com aparência feia, e comida bonita é algo indispensável.
Asse em forno médio, assim eles assam por igual e o fundo não fica queimado.
Use um bom chocolate em pó, nada de achocolatados com açúcar, existem marcas baratinhas com qualidade, as versões com 50% de cacau ou mais são as melhores.
Você pode adaptar receitas de bolo que já costuma fazer, mas lembre-se de diminuir o tempo para assar, em média uns trinta minutos.
Variar as coberturas deixa tudo mais divertido, além de deixar a receita mais colorida.

Minha receita de CupCake de Chocolate
Ingredientes da massa:

1 xícara (chá) de açúcar
5 colheres (sopa) bem cheias de margarina
4 ovos
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
1  xícara (chá) de chocolate em pó
1 colher (sopa) de fermento em pó
1 xícara (chá) de leite morno
1 colher (sopa) de canela em pó

Preparo:

Bata as claras em neve, guarde na geladeira.
Numa vasilha bata as gemas e acrescente o açúcar e a margarina, assim que virar um creme claro acrescente a farinha, o chocolate, a canela e o leite morno, bata para não ficar com bolinhas de farinha.
Acrescente o fermento, mexa e por fim a clara em neve.
Ligue o forno para esquentar, coloque duas colheres de massa em cada forminha de papel já arrumada dentro da base de alumínio. Deixe o forno na temperatura média e asse por uns 30 minutos.

Calda:

1 xícara (chá) de leite
5 colheres (sopa) de açúcar
3 colheres (sopa) de chocolate em pó

Preparo:

Misture os ingredientes e ferva, pode ser no microondas ou no fogão mesmo, assim que levantar fervura está pronto. Regue o bolo ainda quente, um pouquinho em cada CupCake

Cobertura 1

1 lata de leite condensado
1 caixinha de creme de leite
1 colher (sopa) de margarina
4 colheres (sopa) de chocolate em pó
Coloque em uma panela e leve ao fogo médio  a margarina, o chocolate, e o leite condensado, mexa, assim que ficar no ponto de brigadeiro acrescente o creme de leite e mexa mais um pouco ainda no fogo. Cubra os bolinhos ainda quentes e joque granulados coloridos.

Cobetura 2

200 gramas de chocolate em barra amargo ou meio amargo
1 lata de leite condensado
1 colher (sopa) de margarina
1 lata de creme de leite sem soro
3 colheres (sopa) de chocolate em pó

Preparo:

Numa panela misture a margarina, o chocolate em pó e o leite condensado. Prepare uma receita básica de brigadeiro, acresente o creme de leite sem o soro. Derreta no microondas ou em banho maria a barra de chocolate, misture tudo ainda quente. Cubra os bolinhos e decore com granulados coloridos.

Variações de decorações:

Damascos secos picadinhos, nozes, castanhas trituradas, cereal matinal triturado.
Servir como sobremesa com uma bola de sorvete de creme, dobrar a receita da cobertura 1 e regar o sorvete também.
Cobrir com canela em pó e acúcar de confeiteiro, nesta versão não precisa fazer a calda, assim evita deixar o bolinho muito doce.
Se alguém fizer me conte, não sou cozinheira, brinco ás vezes para relaxar da correria cotidiana e fazer um mimo para família.
Bjs e boa diversão.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Não, sim, talvez, nunca, sempre...

Não, não sou boa,
sou bruta minha alma não foi lapidada.
Não, não interessa,
se algumas palavras voam da boca feito facadas.
Não, não acredito,
desconfio do que vejo, e confio no que sinto.
Não, não concluo,
sou relapsa e me encanto com o novo.
Não, não, não,
sou do contra e sinto prazer em fazer isto.
E meus nãos carregam um sim tão sincero,
sim de sinto, sim de assim, sim de nudez.
Talvez, talvez seja confusa,
mania de quem faz sem pensar e pensa sem fazer.
Sim, meu sorriso é de um lugar escondido,
nem sei como chegar lá, só sei que sai.
Sim, minha raiva transparece,
mora junto com o sorriso, sem endereço.
Sim, meus olhos falam,
gritam alto, nem disfarçam, crianças travessas.
Não, não tenho certeza de nada,
certeza é um território perigoso, tenho medo de ir lá.
Sempre, sempre nem sequer existe
é loucura disfarçada de sonho.
Nunca, nunca é desejo fantasiado,
vontade de explicar o que assusta.
Não, sim, sempre, nunca, talvez,
palavras, pedidos, perdidos, caminhos.

domingo, 18 de setembro de 2011

A Metamorfose ou Os Insetos Interiores ou O Processo

"Notas de um observador:

Existem milhões de insetos almáticos.
Alguns rastejam, outros poucos correm.
A maioria prefere não se mexer.
Grandes e pequenos.
Redondos e triangulares,
de qualquer forma são todos quadrados.
Ovários, oriundos de variadas raízes radicais.
Ramificações da célula rainha.
Desprovidos de asas,
não voam nem nadam.
Possuem vida, mas não sabem.
Duvidam do corpo,
queimam seus filmes e suas floras.
Para eles, tudo é capaz de ser impossível.
Alimentam-se de nós, nossa paz e ciência.
Regurgitam assuntos e sintomas.
Avoam e bebericam sobre as fezes.
Descansam sobre a carniça,
repousam-se no lodo,
lactobacilos vomitados sonhando espermatozóides que não são.
Assim são os insetos interiores.


A futilidade encarrega-se de maestra-los.
São inóspitos, nocivos, poluentes.
Abusam da própria miséria intelectual,
das mazelas vizinhas, do câncer e da raiva alheia.
O veneno se refugia no espelho do armário.
Antes do sono, o beijo de boa noite.
Antes da insônia, a benção.


Arriscam a partilha do tecido que nunca se dissipa.
A família.
São soníferos, chagas sem curas.
Não reproduzem, são inférteis, infiéis, in(f)vertebrados.
Arrancam as cabeças de suas fêmeas,
Cortam os troncos,
Urinam nos rios e nas somas dos desagravos, greves e desapegos.
Esquecem-se de si.
Pontuam-se


A cria que se crie, a dona que se dane.
Os insetos interiores proliferam-se assim:
Na morte e na merda.


Seus sintomas?
Um calor gélido e ansiado na boca do estômago.
Uma sensação de: o que é mesmo que se passa?
Um certo estado de humilhação conformada o que parece bem vindo e quisto.
É mais fácil aturar a tristeza generalizada
Que romper com as correntes de preguiça e mal dizer.
Silenciam-se no holocausto da subserviência
O organismo não se anima mais.
E assim, animais ou menos assim,
Descompromissados com o próprio rumo.
Desprovidos de caráter e coragem,
Desatentos ao próprio tesouro...caem.
Desacordam todos os dias,
não mensuram suas perdas e imposturas.
Não almejam, não alma, já não mais amor.
Assim são os insetos interiores."


O Teatro Mágico

Agora cospe o inseto, não engole que é caca!

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Olhar

Passei um tempo sem escrever aqui, precisava olhar mais, deixar a vida fluir, organizar meu ninho.
Agora volto, cheia de alegria, inspirada...
Outro dia caminhei ao anoitecer e senti o vento frio tocar meu corpo, era quase um abraço, sensação de fazer parte e ao mesmo tempo de entrega ao seu sabor, voar sem sair do chão, estava acompanhada e mergulhada num silêncio tão bom.
Olhar o vento, sim eu vi, minha pele via, meu coração também e mesmo as belas luzes da noite paulista, o barulho dos carros e pessoas que circulavam, o manter o caminhar e carregar os pacotes que me acompanhavam, nada impedia a visão, era o vento...lindo, poderoso, prazeroso.
Meus olhos estavam abertos, tinham a função de guia, mostravam o percurso e nada mais, naquele momento só via o vento, o resto era só manter a marcha.
O espelho está colorido, flores amarelas e azuis saltam no tecido vermelho, folhas verdes aqui e acolá, no meio vejo além, meu rosto modificado pelo tempo, ás vezes percebo que cresci, outras que regredi e brinco com meus cabelos esticados, minha pele de vento, meus olhos de cão cativo, danço no ritmo das imagens e enxergo o que não via antes...
Não estou pronta, não queimei a argila da minha alma e posso molhar o barro e modelar novamente!
Percebi que sou meio marron terra, amarelo polén, vermelho sangue, preto noite, branco lua, azul céu, verde folha, é tudo assim muito misturado, tenho cor de aquarela.
Achava que  possuia meu corpo, mas me enganei, sou do vento, bastou ele soprar e me entreguei, mas o vento ele passa tão rápido que nem pude acompanhar.

II - O Meu Olhar
"O meu olhar é nítido como um girassol.
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda,
E de, vez em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo essencial
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do Mundo...

Creio no mundo como num malmequer,
Porque o vejo. Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender ...

O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo...

Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar ...
Amar é a eterna inocência,
E a única inocência não pensar..."

Alberto Caeiro

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Fotos bonitas que encontrei na rede



Tanquinho, dar uma olhadinha e um aperto de mão, podem ter muitos significados.
E olhar, isso todos podem...

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Arte contemporânea

Nas últimas semanas tenho frequentado um curso de arte contemporânea e fui apresentada a vários artistas,  alguém compartilhou comigo, achei justo compartilhar, pelo menos por aqui. 
Fiz uma busca na internet e colareolei os links de alguns artistas que possuem sites e facilitam o acesso.


Francis Alÿs

http://www.francisalys.com/
Para saber um pouco mais sobre a vida dele:
http://editora.cosacnaify.com.br/Autor/1495/Francis-Al%C3%BFs-.aspx


Joseph Beuys


http://www.digestivocultural.com/ensaios/ensaio.asp?codigo=8&titulo=A_arte_como_destino_do_ser


O cara criava umas performances geniais, pena que não consegui achar no YouTube.


Félix Gonzales Torres
http://entretenimento.uol.com.br/27bienal/artistas/felix_gonzalez-torres.jhtm


Tom Sachs, este merece uma olhada com calma, suas performances são repletas de simbologia, e olha que não sei nada sobre o cara e já fiquei fascinada
http://www.tomsachs.org/

sábado, 23 de abril de 2011

Exposição " O mundo mágico de Escher"

Adoro morar em São Paulo, cada hora aparece uma nova opção de lazer. Desta vez é uma exposição ótima no CCBB, a entrada é grátis mas a visita é um presente aos olhos.
Para  quem torce o nariz quando escuta a palavra Exposição é bom espiar um pouquinho e deixar-se afetar pelo encantamento da arte. Algumas obras desafiam a lógica, causam sensações que vão do fascínio ao espanto. muitas são interativas e palavra genial descreve em parte o que será visto por quem aceitar a sugestão de passeio. Aproveitei o feriado e fui com minha filha, voltaremos com calma pois estava lotado.
Abaixo segue o link da página do Centro Cultural do Banco do Brasil.
http://www.bb.com.br/portalbb/page511,128,10173,1,0,1,1.bb?codigoEvento=3721

domingo, 3 de abril de 2011

Aniversário



Alegria de contar os anos e ver a vida tornar-se mais interessante, os problemas menos assustadores, e celebrar com quem nos ama, celebro os abraços da minha mãe, o nascimento e companhia da minha filha, o meu sobrinho que ganhei de presente de aniversário há dez anos atrás, celebro minha fase no ninho, plantando sabores e perfumes, tecendo beleza e carinho, celebro estar viva hoje rodeada de amor!
Hoje me dei rosas, até ontem não gostava delas. A pouco me acostumei a dormir cedo, o mundo não vai acabar se algo ficar inacabado. Voltei a tomar banho com bucha vegetal, e abandonei os inúmeros cremes que me tomavam tanto tempo. Decidi lutar pelas coisas que dependem do meu empenho, as que aguardam decisões ou comportamentos alheios não me cabem mais, um dia de cada vez e o que acontecer certamente já está traçado pelo destino. Estou mais alegre, com uma calma que nem sabia que habitava dentro de mim, mais esquecida e sem nenhuma vergonha em admitir, mais jovem apesar dos anos marcados nas velas afirmarem o contrário!

quarta-feira, 16 de março de 2011

Arianas, mulheres e guerreiras

Astrologia, mitologia e uma boa dose de senso comum são os ingredientes desta postagem!
Sou ariana e adoro as definições espalhadas nos livros esotéricos e na internet, leio por curiosidade e também para massagear um pouco o égo, afinal como uma boa ariana sou vaidosa em alguns aspectos.

Minhas definições:
Arianas são obstinadas, cheias de vontades urgentes que cegam, capazes de virar noites trabalhando com afinco para alcançar o que desejam, adoram novidades e tem certa dificuldade de ficar estável com o que já está acomodado. Incapazes de esperar não são frequentadoras assíduas de salões de cabeleireiro, só se encontrarem um sem fila de espera e com profissionais capazes de atender suas mudanças tão constantes, na verdade são tão apressadas que acabam por aprender cedo a serem independentes.
Como não precisam de muito, basta que a vida seja uma constante turbulência que tudo estará tranquilo, a frase parece caótica, mas é bem assim... quanto mais imprevistos e desafios mais uma boa ariana vai ficar "ligada", mas nada de exageros, o encanto some tão rápido como aparece, assim num estalo. Muito trabalho não deve ser confudido com algo quase instranponível, se demorar muito pode esquecer, que a ariana também esquecerá!
São ótimas amigas, não vão pegar no pé, e são dispostas, basta chamar pra algo divertido que lá estarão como se nada houvesse acontecido, elas nem vão lembrar dos meses desaparecida sem nem dar um telefonema. Caso o assunto seja sério, é só chamar também, são ótimas pra arregaçar as mangas e ajudar no que for necessário, além de conseguirem rir até das piores situações.
É prudente não pedir sinceridade, como a maioria das arianas tem a certeza de sempre terem razão elas não vão se incomodar em falar verdades ácidas e deixar o circo pegar fogo! Nunca irrite uma ariana afirmando que ela não tem razão, isso é quase pedir para começar uma discussão!!!É mais fácil pedir com jeitinho, arianas são generosas, adoram ajudar e se não forem contrariadas são excelentes companheiras!
Como ariana posso confirmar esta história de se envolver em vários projetos paralelos e sem o menor pudor abandoná-los pois o tempo já foi ocupado por outra atividade recém descoberta.
Já vivi grandes paixões, pintura em tela, tecido, bordados, costura, leitura, música, dança, culinária, artesanatos em geral, pessoas e depois de algum tempo a monotonia acaba por despertar o interesse para outros horizontes.
E a definição que merece atenção, arianas xingam, fazem cara feia, falam o que pensam, mas só guardarão rancor se forem muito mas muito ofendidas, o normal é fazer uma certa pirraça, dar um pouco de trabalho e tocar a vida para frente sem maiores problemas, e com certa displicência agir como se nada houvesse acontecido.

Definição astrológica das características arianas:

"Liderança, iniciativa, coragem, franqueza (as vezes inoportuna), individualidade, energia vital, rapidez, lidam de forma distanciada de suas emoções, desafios, disposição para começar coisas novas, reações intensas e apaixonadas, lutas, amor à vida, dificuldade em observar pela necessidade constante de ação, dificuldade em entender as reações dos outros, a relação amorosa costuma ser apaixonada, sensual, liberada, impaciência, pioneirismo, ingenuidade, agressividade, luta para manter territórios, autêntico, firme decisão,lançam-se aos perigos com a certeza da vitória. Muitas vezes não concluem os desafios.
As mulheres podem abrir mão de características sociais consideradas femininas para atingirem outros objetivos, sabem viver sozinhos, gostam de estar com os amigos, sua equipe de trabalho, preferem agir sozinhos em seus afazeres. As mães arianas estimulam a independência de suas filhas. Às vezes as atitudes de mulheres arianas assustam os homens. São diretas, francas e não fazem jogos de sedução."
fonte:
http://www.misteriosantigos.com/mitos.htm

Definição mitológica:
"O mito mais significativo é o de Jasão e os Argonautas, que conhecemos, meio de tabela, através da história de Medéia e sua paixão doentia por Jasão.

O rei Éson, pai de Jasão, foi assassinado pelo irmão, Pélias, que usurpou seu trono e exilou Jasão, na esperança que ele morresse e não reclamasse o trono. Jasão foi criado, então, pelo Centauro Quíron (relacionado ao mito de Sagitário), até os vinte anos, quando reclamou o trono. Seu tio Pélias prometeu que daria o trono se ele conquistasse o Velocino de Ouro (que pertencia ao santuário de… Ares!!!), o que seria quase impossível.
Jasão saiu, então, em busca da pele do carneiro que falava, pensava e voava com seus pêlos de ouro, acompanhado de guerreiros como Cástor e Pólux (mito de Gêmeos), Hércules, Orfeu e o rei Teseu, num navio chamado de… Argo (daí, Argonautas). Recebeu do rei Éeto missões a serem cumpridas para que ficasse com o Velocino, e foi ajudado por Medéia, feiticeira e filha do rei, para conquistar a pele de carneiro e recuperar o seu trono.
Em honra ao feito de Jasão, o carneiro da lã de ouro foi transformado na constelação de Áries."
Fonte:
http://deolhonalua.wordpress.com/2009/04/24/omitodearies/


Mas como isto tudo é um emaranhado de crendices, arrisquem-se e conheçam bem as pessoas, nada de receitas fechadas, basta bom senso e um pouco de ousadia que a vida fica na medida!

terça-feira, 15 de março de 2011

Quero ser protagonista de romance brasileiro

Depois de fazer 30 anos comecei a pensar em como minha história é escrita, quem são os personagens principais e como cada um se posiciona diante do desenrolar da trama.
Sempre escrevi em caderninhos, agendas e diários, alguns foram guardados em segredo durante anos, e agora eles guardam um passado que pode ser escancarado, nada é tão comprometedor como minha mente.
Nas últimas semanas arrumei algumas caixas, eram tantos livros empoeirados que não cabiam mais no meu lar, guardados em armários, porão e cantinhos que os olhos não alcançam... Separar-me deles foi tão fácil que me assustei, eles já foram tão importantes e agora resumiam-se a papel  para ser reciclado, e no meio de tudo isto foram memórias e confidências.
Quem sempre sobrevive é a protagonista da história, eu! Parece arrogante, mas é a mais pura verdade, pessoas passam por nossas vidas, algumas deixam marcas profundas, outras requerem fotografias para serem lembradas, nada é eterno, chega uma hora que a história termina.
Planejei muitas coisas, arrisquei quando senti vontade, parti quando necessário e não guardo arrependimentos, todos os passos me trouxeram para o ponto no qual me encontro...
É hora da protagonista recriar seu cenário, plantar flores na janela, trocar as cortinas e banhar-se em águas perfumadas. Prevejo mudanças, projeto, caminho pra que elas se concretizem, decisões que dependem da minha coragem, da capacidade de refazer-se, quebrar no meio, olhar para dentro e colar novamente.
Quero ser a morena que passeia na rua calma, banhada pela luz da lua, de olhos fortes e cabelos rebeldes, de caminhada cadenciada, e coração disparado pela simples alegria de existir naquele momento.
Mudei meus planos, nada de esperar o que não depende de mim!
Minha vida começa a ganhar novos traços, e quem escreve o desenrolar sou eu, cabe ao destino me dar fatos, encontros e desencontros para apimentar o enredo, em breve a fênix reaparece e depois de queimar no fogo, ressurgir das cinzas será impossível contentar-se com pouco.
Dsipenso planos, incertezas e segredos, quero carne, sangue e suor! Gosto de manga madura, cheiro de manjericão fresco, vestido florido e balanço do vento, olhos brilhantes, mãos macias, trilha sonora impecável e borracha na mão para apagar os trechos que não cabem mais na vida desta protagonista.

domingo, 13 de março de 2011

Lua cheia maravilhosa nos próximos dias

Olhem para o céu, observem como a lua está linda estes dias! Na verdade mais linda do que habitualmente...
No dia 19 ela estará com visibilidade ampliada e de certa forma maior, já que se aproximará mais da Terra.
Para quem assim como eu quase uiva quando olha para este misterioso satélite vale preparar o banquinho e tomar um bom banho de lua. Pretendo reservar vinho, máquina fotográfica, insensos e música pra viajar com a paisagem.
Segue link do site que me possibilitou descobrir mais sobre o fenômeno:
http://shakyamuni.net.br/2011/03/11/o-mundo-vera-a-maior-lua-cheia-dos-ultimos-20-anos-supermoons/

Lembrando que 21 de março também é solstício de primavera e outono conforme o hemisfério. É a entrada de áries no ano zodiacal, ou seja começa tudo novamente, e meu aniversário! Muitas alegrias, e com lua cheia esplendorosa, ai ai...Vou ser obrigada a comemorar, aproveitem e celebrem tbm, estão todos convidados a compartilhar as energias do Universo!
Bjs

quarta-feira, 9 de março de 2011

Dica de Teatro

Teatro: ANA-ME


Livremente inspirado no conto AMOR de Clarice Lispector, Ana-me aborda questões da vida cotidiana de forma bem humorada e poética. Ana é uma dona de casa que se encaixa perfeitamente em sua vida até que um cego mascando chiclete desperta nela um universo repleto de vida, perversidade, erotismo. Porém, ela precisa voltar para casa e preparar o jantar.

Teatro Cacilda Becker. De 04/03 a 10/04. Sextas e Sábados às 21h e Domingos às 19h. Ingressos a R$ 10,00 Duração: 55 minutos Classificação: 12 anos


fonte:
http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/dec/programacao_cultural/index.php?p=8562

segunda-feira, 7 de março de 2011

Coisificação

Assisti neste fim de semana o filme, "Bruna Surfistinha" e sai da sala de cinema com estômago embrulhado, primeiro por causa das cenas fortes com doses acentuadas de sexo e drogas, segundo por causa da reação da platéia, apesar das cenas fortes era possível escutar risos, e pasmem muitos risos...
Gostaria de imaginar qual parte era engraçada...
Primeiro uma menina oprimida por um padrão de beleza que reduz as mocinhas que não se enquadram ao patamar de coisas obsoletas.
Segundo a fantasia de vida fácil através do comércio sexual, e a venda da imagem como forma de se afirmar socialmente.
Terceiro a fuga através das drogas para sobreviver a realidade.
Quarto a violência contra a mulher coisificada como um depósito de esperma, sujeita a violência física e moral.
Quinta a mercantilização humana em si, seja da mulher ou do contato entre as partes.
Sexta, as cenas de exaustão física após inúmeros "programas".
Sétimo, ver um ser humano transfigurar-se, abdicar dos sentimentos para representar algo que mais se assemelha a uma máquina.
E depois de pensar em tudo isto... ainda não consigo achar graça!
Convivemos com a violência no cotidiano e todos reclamam, mas qual a parcela de contribuição de cada um? Achar normal ver alguém ser violentado mesmo que na tela de cinema, também não é uma forma de perpetuar esta violência?
Não tenho ilusões de mudar o mundo, mas não consigo me calar, me resta espressar a raiva e inquietação.
Escrever sobre o assunto, discutir, falar e fazer a minha parte pra não compactuar com esta sujeira.
Antigamente as mulheres se casavam com homens escolhidos por seus pais, eram efetuados contratos nos quais o "pacote" do matrimônio envolvia coligações familiares e manutenção de poder, paralelamente outras mulheres eram "usadas" para satisfação sexual nas senzalas e cozinhas.
Séculos se passaram, mas a situação permanece mascarada com novas nomenclaturas, o que muda é a exposição e a inserção cada vez mais precoce das meninas no "mercado de coisificação feminina'.
Bailes entoam letras cada vez mais grotescas, hinos do desrespeito a relação humana, e a função feminina nas relações permanece subalterna e distanciada.
Predominam imagens, figuras projetadas de belezas desumanas, padrões rigidos de beleza que oprimem várias gerações e constroem um coletivo infeliz e descontente com a auto-imagem.
E todos se calam, a normalidade permite que se consolidem atos violentos e todos comunguem de idéias que a maioria nem imagina que existam, comportamentos controlados por um sistema machista e desumano.
Depois de todo este desabafo, desejo sinseramente que a leitura deste possa fazer alguém refletir mesmo que por instantes sobre a atuação de cada indivíduo no nosso planeta, e na manutenção de comportamentos tão nocivos.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Lista de desejos

A vida é engraçada, dias de alegria, outros de muito trabalho, uns de sossego, outros de agitação, hoje é dia de listar desejos simples:
Quero ver o amanhecer com calma, sabe aquele céu avermelhado com a luz invadindo por todos os lados...
Dormir nos fins de semana sem ouvir o pancadão que alguns vizinhos insistem em compartilhar com todos do bairro, só quero o som do vento e se puder algumas gostas de chuva batendo na janela numa melodia perfeita para dormir nos lençóis de algodão com o quarto bem escurinho.
Alguns cds:
Raimundo Fagner & Zeca Baleiro 
 Comigo, Pérolas aos povos, ambos da Rita Ribeiro, dois cds lindos!
The Best of the Manhattans: Kiss and Say Goodbye

Viajar pra Fernando de Noronha e ficar uns dias sossegada só apreciando as belezas da vida.
Um dia num SPA, massagens, banhos perfumados, ai ai...
Tomar sorvete de castanha do Pará na Cairú assistindo a chuva da tarde.

Continuar viva, respirando bem, com duas pernas fortes para andar e dançar muito, sentir cheiro de jasmim e canela, tomar vinhos saborosos, e amar, me apaixonar pelo simples e fundamental!

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Pertubada, imapaciente em pleno inferno astral...

Sumi uns dias deste mundo paralelo que me consome tanto, estou sem modem e usando um emprestado de uma alma boa que resolveu me dar alguns momentos de alegria.
Entrei no meu inferno astral, e só percebi porque as coisas ficaram estranhas, mais do que costumam ser!
Estou tão desorganizada que me surpreendo de conseguir respirar no ritmo, e além do mais vendo com olhos de águia, as verdades estão escancaradas e cravadas no peito feitos estacas pra ficar sangrando e marcar presença.
Que no universo existem mais coisas que podemos enxergar isto não é novidade, mas passei por fases de pressentimentos intensos, sensações esquisitas e o corpo ficou um pouco enfraquecido, nem sabia que podia aguentar tanta coisa calada pra não dar bandeira de coitadinha, mas agora que passou posso pelo menos citar.
Hoje é dia 20 de fevereiro e a distância da internet me deu tempo pra analisar tanta coisa, mastigar e engolir o que estava latente, será que algo sobreviverá depois deste mês que conto até o próximo outono?
Minha língua este ano está afiada, minha paciência pequena, e quero mesmo despejar o que der vontade, e se alguém se incomodar pode entrar na fila, já tem gente nos primeiros lugares...
Algumas pessoas que convivo são como margaridas, belas, fortes e simples, gente sem frescura que se mostra logo não fica fazendo tipinho e estas pessoas serão poupadas da minha fase pertubada, agora as restantes...furacão tem nome de mulher pra deixar claro que a fúria feminina é algo avassalador.
Estou sem relva para me esconder, bicho acoado que ataca para garantir a sobrevivência, e ainda a lua cheia fica linda no céu com este clima quente que faz meu sangue ferver, espero que no outono caiam muitas folhas e forrem o chão de algum lugar que eu passe devagar ouvindo o barulho delas se quebrando lentamente.
E agora vou passar os próximos dias meio gente, meio fera, quem corre o risco de sair ferido por ter pisado na bola fique longe, não respondo por minhas reações, este é o meu ano de experimentar, quero emoções intensas e elas podem ser de qualquer natureza.
E finalmente, se estou no meu inferno astral quer dizer que meu aniversário se aproxima...e se é ano de experimentar...preciso pensar com calma no que desejarei na hora de apagar as velinhas.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Gosto muito...

Nossa que poder é esse que a música exerce sobre minha mente, passei o dia na maior nostalgia, cada pensamento uma canção, engraçado que dava pra sentir o cheiro e relembrar as sensações do tato, da visão, do paladar...
Sou inconstante, mas a música me toma de tal forma que pode até cair a casa mas embalada numa boa canção acabo por me manter no prumo!
Das sensações que revivi, algumas tão distantes, perdidas no tempo, marcadas por tantos descaminhos e escolhas esta sempre me inspira...Retomo uma fase da vida tão leve, era tão fácil acreditar na possibilidade de tocar o céu e de certa forma me sentia tão plena...

Palavras do Coração



Bruna Caram


"São sorrisos largos

Lagos repletos de azul
Os corações atentos
Ventos do sul
São visões abertas
Certas despertas pra luz
A emoção alerta
Que nos conduz

Sonhos aventuras
Juras promessas
Dessas que um dia acontecerão
Você me daria a mão?
Todos estes versos soltos dispersos
No meu novo universo serão
Palavras do coração


Os artifícios
Vícios deixando de ser
Os velhos compromissos
Pra esquecer
São pontos de vista
Uma conquista comum
O mesmo pé na estrada
De cada um


Sonhos aventuras
Juras promessas
Dessas que um dia acontecerão
Você me daria a mão?
Todos estes versos soltos dispersos
No meu novo universo serão
Palavras do coração."

Composição: Otávio Toledo / J.C.Costa Netto


Para quem ainda não teve a oportunidade de ouvir esta cantora com uma voz incrível, afinadíssima deixo o link com o clipe no youtube, vale a pena dar uma olhadinha!

Os significados que damos aos acontecimentos na vida depende de como encaramos a jornada, se olharmos o mundo com medo provavelmente perderemos o melhor que a vida pode nos dar que é simplesmente arriscar e ser.
E gosto muito de viver com direito a trilha sonora, encontros e desencontros!!!


http://www.youtube.com/watch?v=CybFAalDP_w&feature=player_embedded

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

De volta ao mundo real

Férias são como sorvete de limão em dia quente, refrescam mas acabam rápido! As minhas acabaram, e foram suficentes pra descansar, conhecer e até fantasiar, afinal a vida pode e deve ter um pouco de sonho pra adoçar os dias e deixar boas lembranças.
Ganhei reencontros com pessoas queridas, conheci novas, vi outras paisagens e me permiti ser, sem amarras, timidez ou medos.
Fevereiro começa e viro a página, quero trabalhar o suficiente pra continuar amando minha profisão, gostar da minha rotina pois isto é real, tocar e ser tocada, e me amar muito.
2011 vem de forma leve, sem ambições materiais, já tenho tudo o que preciso, minha vida profissional também já está definida, precisarei me organizar pra aprender, descobrir novas formas de me comunicar.
Deixo com as férias sonhos doces, imagens vividas e criadas, sensações descobertas, mundos visitados.
Me visto de mim... Se é que sei realmente quem e o que sou, me reinvento tanto que duvido do que vejo na frente do espelho.
Meu coração já se estilhaçou muito e descofia dos sentimentos a sua volta, talvez meu destino seja mesmo ser só...e quem sabe isso pode até ser bom.
Que 2011 seja um ano de verdades, descobertas, definições. E se pudesse inventar uma oração pedindo bençãos pediria só amor, pois o resto vem com o tempo é só o amor o que realmente importa, e não me refiro as paixões, mas ao sentimento de querer bem, cuidar, tocar o outro com palavras, estar presente mesmo quando os olhos não se encontram.
Sentirei falta dos abraços que recebi, mas guardarei na memória o que foi vivido.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Represa do Guarapiranga


Domingo e resolvemos dar uma volta. guiados pelo grande Luíz visitamos alguns pontos interessantes do bairro. Visinhos da represa de Guarapiranga devido ao cotidiano não apreciamos algumas belezas tão próximas. Mas como domingo é dia de alegria, almoçamos e partimos para nossa aventura, cheia de carrapichos, vento, calor e paisagens lindas.
O passeio será divido em várias postagens, muitas informações...E pena que não dá pra capturar nas fotos as risadas e comentários...
PRAINHA- REPRESA DO GUARAPIRANGA
BAIRRO RIVIEIRA






Saber viver é redescobrir encanto onde não se via mais, rir sem pressa, apreciar, tocar e se tocado, compartilhar.
Obrigado Universo Poderoso pela vida, a natureza, os domingos ensolarados com tempestade ao anoitecer.

sábado, 8 de janeiro de 2011

Projeções, medos, defeitos e vida virtual

Conversei outro dia com uns amigos sobre como as pessoas se mostram na internet, como projetamos nossas qualidades e esquecemos todas nossas falhas ao criar os perfis nas páginas sociais, pensei bastante sobre o assunto, não que isso seja algo fundamental, mas me fez refletir sobre o tempo que passamos na fente do computador e do mundo paralelo de convivência.
Nunca falo dos meus medos, eles são a parte mais obscura da minha essência... É mais fácil mostrar um sorriso no rosto do que admitir as fraquezas.
Resolvi mudar isso, não vou virar estas pessoas chatas que levantam bandeira de coitadinha, isso realmente não combina comigo!
Tenho medos!!!
Medo de amar muito, de temporais, de espirítos desencarnados, de cachorros e não sou boa para demonstrar sentimentos.
Sou inconstante,desconfiada,  impulsiva,contraditória, agitada e impaciente.
Falo muito de coisas que não me dizem nada e me calo sobre as questões que realmente me tocam.
Começo planos e os abandono quando ficam cansativos ou aparecem novas idéias, e elas sempre aparecem...
Gosto de brincar com a vida, assim fica parecendo que não ligo, então ninguém pergunta o que não quero responder.
Tenho boa memória e isso muitas vezes não é produtivo!
Sou chata quanto a limpeza e organização da minha casa.
Sou habilidosa para administrar dinheiro, mas não me seduzo por posses ou status, prefiro ter liberdade, quem tem pouco para cuidar tem mais tempo para viver.
Sou viciada em trabalhar e deixo as pessoas que me amam de lado para satisfazer minhas buscas profissionais, mesmo que elas não sejam remuneradas, minha curiosidade me deixa hipinotizada.
Como muito doce, bebo muito café, e sou indisciplinada, odeio receber ordens ou ser controlada, quando isto acontece tendo a rebeldia.

Pronto agora já deixei minha vida virtual mais real, se isso for algo possível. E talvez deixe minha vida real mais virtual...

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Dicas para um ótimo começo de ano!

E quem disse que no ano novo é bom usar branco!?!
Deveria experimentar romper estes padrões, soltar a franga e desfilar um pouquinho pelo bairro, garanto bons risos e um início de ano muito descontraido. Se quiser uma forcinha pra sair da casca é só nos chamar!!!
 Que nós somos meninas boazinhas, sorridentes, fortes, já sabemos... agora o que acontece quando começamos o ano assim... Só  em 2011 saberemos....
 Ano novo na minha casa é sinônimo de aniversário, vale cantar parabéns várias vezes! Durante o dia 01!
Junto com as velas, acrescente sorrisos, e vários pedidos! Pode ser num bolo de caneca, confeitado, o que vale é acreditar!

 Na madrugada, junto com a ceia da virada!
 E se ficar com vontade de cantar e soltar os bichos, é só se aventurar, disputar com as criancinhas e sair com a auto estima lá no céu!
Então nada de ir pra Paris, Copacabana, Av. Paulista ou outros destinos requintados, a receita é simples:
Encontre quem realmente gosta de você, se reinvente, entregue-se ao acaso, brinque muito, visite a porta do hospício, embrenhe-se no mato, veja vagalumes, água mansa e coma bem. Resultado: Muita sorte e alegria!
O resto é só acompanhamento, o prato principal só depende de cada um dos ingredientes humanos se encontrarem e comungarem de sentimentos livres e alegres!

sábado, 1 de janeiro de 2011

Ano Novo 2011

Preparei a ceia com dedicação,me arrisquei inventando receitas e convidei as pessoas que amo para compartilhar, algumas não puderam vir...
Não me importo com estas tradições e superstições que envolvem o heveillón, roupa nova, pular ondinhas, comer uvas, lentilhas e blá, blá, blá...
Gosto de ver os fogos, acho lindo! Ver as pessoas desinibidas abraçando estranhos e desejando boa sorte, das comidas e do gostinho bom do espumante barato que faz cócegas no céu da boca.
Recebi minha amiga Beth e sua família, figuras maravilhosas, ela com sua personalidade e presença marcante, seu pai com humor inteligente e perspicaz,  sua mãe a bela Vera uma dama, delicada, quase um personagem de filme em preto e branco, e a Ana minha filha que já é obrigada a viver comigo o ano todo.
Compartilhei meus adereços e cada um escolheu sua forma de brincar com a imagem, peruca, tiarinhas sugestivas, óculos e saimos pela rua, rsrs.
A represa foi nosso destino, nos embrenhamos no meio do mato, num baita escuro, com direito a sapinhos e vagalumes, a água mansa balançando, barquinhos e pescadores ao longe,  a queima de fogos com corações se formando no céu, misto de imagens e sensações. 
Em meio a este cenário pensei no que poderia prometer pra 2011, e decidi não prometer nada, quero aflorar meus instintos, soltar a voz, fazer o que der na telha. Segundo o calendário Maia em 2012 o mundo vai acabar, então este será o ano de dar vazão aos sentidos e sentimentos!
Hoje também é uma data pessoal, aniversário da minha filha e meu de mãe, são treze anos nesta jornada de descobertas, não encontro palavras para descrever o que se sente com o nascimento de um filho e certamente esta sempre será a data mais importante da minha vida, já que é pouco provável que eu tenha outro, seremos nós duas e a vida. 
E para 2011 que existam muitos encontros e desencontros, que a lua brilhe no céu, que os sabores sejam únicos!