domingo, 30 de maio de 2010

Meu silêncio

Quantas coisas pra dizer, mas o que faço se o que posso agora é apenas calar?
Quantas certezas para ter, mas o que faço se nem sei por onde começar?
Esses olhares que confundem, estas palavas que afastam, estes descaminhos que reforçam o receio.
E as escolhas, como fazê-las se nem sei pensar em viver sem a dúvida?
Bastariam  abraços em silêncio pra sentir o calor da pele e a pulsação dos corpos entrelaçados, e em segurança esperar para ouvir e quem sabe dizer, mas neste momento a calmaria pertuba, questiona se estamos mesmo ali ou se é tudo projeção, loucuras inventadas pela solidão de quem não sabe querer ter.
Perdida no silêncio que é nosso... vejo tanto que as imagens me pertubam, cansam a vista e ás vezes afastam, num ir e vir sem fim. Que vício é esse de ser só?
Poderia prever o dia seguinte e treinar as falas antes do encontro, mas não dá pra viver o que não existe, e tudo fica como deve ser no campo das projeções.
Me envolvo no silêncio e crio uma armadura, armadilha, proteje e acorrenta...
Poderia ouvir tanto, e dizer sem censura o que sinto e não sei mostrar, mas perdida no meu mundo só, espero o romper dos raios para que movida pelo medo possa ter a coragem de correr e gritar sem receio de como irão me compreender.
Preciso do meu silêncio, protejo-me nele.
A lua está no céu e brilha com seu ar inocente e envolvente, os amantes se tocam ao som das canções escolhidas, mãos percorrem corpos e edentram o íntimo, abrem-se as portas para a alma e todo movimento é ritmado pelo sentir, mas por que ainda só se ouve o silêncio embalado pelas respirações ofegantes e pelo cair dos corpos exaustos?Na cidade muitos dormem, outros fecham os olhos e viajam por mundos sem levar ninguém, e tudo é só silêncio...Bastariam algumas palavras para derrubar os muros, mas elas nunca são ditas e o tempo passa deixando no ar o sabor da desconfiança.
Amanhece e o sol nasce em seu esplendor como se nada ocorresse na noite anterior, é tudo passado...Mas ele continua lá cortando a carne e marcando os corpos, e neste calar sem fim muito se perde, vão as cores, os cheiros, sabores e sensações, ficam só as lembranças do encontro em silêncio dos amantes que não sabem se entregar ao sentir.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Bem estar

Atravesso uma fase da vida que poderia nomeá-la como a colheita, foram anos de trabalho, muitas vezes tão focada que faltava tempo para compartilhar momentos com as pessoas que amo e até mesmo de dar espaço para conhecer novas pessoas.
Descubro prazeres nas coisas simples e aprendo a ser mulher, sem preocupar-me com padrões, expectativas de terceiros e cobranças.
Revi algumas fotos, relembrei acontecimentos importantes, fatos que construiram uma história, a minha e constatei que melhorei, fisicamente e emocionalmente, se imaginasse que o tempo me faria tão bem...
Fiz minhas contas mentais e daqui uns 6 anos, estarei morando se tudo der certo com uma linda jovem de dezoito anos (minha filha) com uma infinidade de possibilidades para vivenciar.
Antes brincava que gostaria de ter um corpinho de quinze com a cabeça de trinta, mas agora preferia ter a segurança dos trinta desde sempre, ia ser mais fácil transpor os obstáculos que me foram apresentados pelo caminho.
E com tudo isto, existem momentos que me falta a paciência, meu cérebro fervilha, tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo, esperar é quase sufocante, tenho sede de viver.
Me basta uma roupa quentinha, um lugar limpo e música para relaxar e todo resto é só lucro, satisfação dos instintos.
Estou bem, muito bem!

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Desejo

Quero manhãs animadas, com luz do sol entrando pela janela e ressaca de sono tranquilo.
Dias que passem logo, cheios de trabalho com a certeza de fazer o melhor possível.
Tardes cheias de cores, caminhando pra casa com recepção calorosa de amores verdadeiros.
Noites aconchegantes, com beijos apaixonados e pele na pele embaixo do cobertor.
Quero luz da lua durante a madrugada velando meu sono e guardando meus segredos.
Desejo vida, saúde e alegria.
E todo o resto será simples, primário, irrelevante.

domingo, 9 de maio de 2010

A PRÓXIMA VEZ

Playmobille



Composição: Gugu Peixoto e Luiz Gustavo vaz


"A próxima vez que a gente se encontrar


Eu vou te dar um beijo, sem pensar, calado


A próxima vez que a gente se beijar


Eu vou querer o mundo com você, do lado






Por que não tentar comigo?


Por que querer ser seu... Amigo...


Amigo não...


Não há abrigo, não






A próxima vez que a gente se encontrar


Eu vou te dar um beijo, sem pensar, calado


A próxima vez que a gente se beijar


Eu vou querer o mundo com você, do lado






Por que não tentar comigo?


Por que querer ser seu...


Amigo não...


Não há abrigo não






A próxima vez que a gente se encontrar


Eu vou te abraçar


Vou chorar, vou morrer


Só pra te fazer sorrir (sofrer)...






Só pra te fazer sorrir..."





http://www.youtube.com/watch?v=0gHnP2rSB0A

quinta-feira, 6 de maio de 2010

A melhor coisa do mundo

O melhor presente pra se ganhar não é a sorte, o dinheiro, amores intensos, beleza...
O MELHOR PRESENTE É A SAÚDE!
Quem tem não valoriza, quem não tem almeja.

VERACIDADE

VER
        A
           CIDADE
 VERACIDADE
   ERA
        A
             IDADE
                   DE
VER
VERACIDADE.

Shirlei