segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Saber olhar a metade cheia do copo faz toda a diferença! Estar ao lado de quem amo é fundamental.
Poder rir com coisas simples é maravilhoso!

sábado, 24 de outubro de 2009

Paz

Paciência, preciso ter paciência, me repito várias vezes pra acreditar que este é o caminho.
Seria tão fácil se soubesse como controlar minhas vontades, meus medos, desejos e vaidade...
Ver com os olhos é fácil, complicado é enxergar com o coração, entender o que a intuição quer dizer no meio da névoa.
Hoje só queria ter paz, apagar esta angústia que me deixa tão distante...Descobrir a causa pra não precisar ficar apagando os efeitos.
Desejo um abraço que me aconchegue o suficiente pra não pensar, beijos que entorpecem pra aliviar, mão firme pra dar segurança e olhar profundo que despe e aquece...mas por hoje não posso ter.
Quero minha paz, liberdade pra sentir sem doer ou sufocar, sem medo de sofrer!

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Tempo

Queria ter menos sonhos, mais caminhos e muitos clones pra dar tempo de ser e fazer tudo que desejo!
A inconstância me faz ser assim, afoita, ansiosa...
Meu tempo é tão cruél, ontem tudo era tão certo, hoje tão desigual, amanhã tão indeterminado e minha vida percorre caminhos que não domino mas desejo.
Penso em como deve ser difícil conviver ao meu lado...em momentos não espero nada, outras vezes quero tanto, e não me cabe apontar caminhos isto faria a vida virar um grande receituário.
Quero tempo pra desvender meu código, descobrir como ler minhas reações, ações, impulsos, pra compreender minha essência e a reação dos que me cercam.
Hoje acordei tão mal humorada...nem me reconheço.
Minha busca de ontem me parece tão vazia, frágil, que se desmonta e meus olhos se esforçam pra ver na neblina o que meu cérebro não consegue organizar...
Quero tempo...muito tempo...dias de 48 horas, noites de sono intermináveis, manhãs repletas de calor, noites ardentes. Quero tanto que se torna pouco ter algo.
Bastaria ser irracional, deixar o corpo responder aos instintos, seguir o faro a sede e a fome, não pensar só sentir!
Que contagem de tempo é esta que não me satisfaz, me condena, rouba o desejo de ser e não ser...
Muito pra deixar, pra fazer, pra sentir e tocar...pouco tempo pra viver, que equação desigual.
Tempo, tarde, cedo, hoje, ontem , amanhã, nunca, quando...que espaço pra ocupar?
Dúvidas, medos, verdades, contrastes, mentiras, pedidos, vaidades, loucuras, sede, realidade, misturados num coração acostumado a ser voluntarioso...
Quero tempo pra sentir, pensar, refletir, viver.
Quero espaço pra errar, arriscar, perder, pedir.
Quero beijos intermináveis, abraços calorosos, saliva quente, mãos firmes e saudade...abraços ternos, olhares profundos, mãos dadas ao pôr do sol...quero agora, amanhã não sei mais!
Tarde, cedo, antes, depois, que tempo será o meu?
Como pode cinco letras nomear algo tão amplo? Tempo...

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Trilha sonora pra um momento especial, letra linda, embala a noite quente...caminha pelo corpo percorre, ondas, sensações, rememora.

"Vagalume

Iaaauêêê iêêêêêê auêêê iêêêêêê áááááááá
Branco, preto, treva e luz
Forte e fraco, já me afasta mais que seduz
Sempre, nunca; louco e são
Leão Leoa e pomba-gira agora iançã
Sempre te quero tudo
Sempre te tenho nada
Logo te percebo, logo te esqueço
Deslumbro o teu silêncio
Na dor da madrugada
Quero te inverso, desejo te avesso
Doce vagabundo, frágil, coração
Facho do mundo, estrelas do chão
És pensamento do tempo
A força dos invisíveis
Vejo te lumiarmente
Um rastro de arco-íííííííris aiááááá aiááááá auêêêêêê ááááááááá
Vagalume, água e terra
Sol e lua, planície e serra
Vagalume, fome e lira
Astro e não astro noite e dia" ( Nilson Chaves )

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Ser mulher

Minha vida está tão movimentada que sinto falta de me ouvir, descobrir onde estão meus verdadeiros sonhos, definir quem sou e como sou...
Trabalho, finanças, família, sentimentos, problemas, tudo misturado e a mulher que habita dentro de mim sente-se sufocada, grita pra sair.
Onde está minha sensibilidade?
Vestir o papel de forte aperta, sufoca...
Sou mulher, mas o que isto significa? O que é ser mulher? Qual meu papel na sociedade e na família?
No princípio eramos responsáveis pelo lar, filhos, companheiro, e hoje?
Sinto que no fundo passamos boa parte do tempo lutando por espaço e descobrindo novas funções que perdemos nossa essência, minha alma feminina se apaga.
Me questiono se esta busca por liberdade não leve ao total desapego, todos querem tanto que no fundo ninguém sabe na verdade o que realmente quer!
Sou mãe e pai porém tenho certeza que não desempenho nenhum dos papéis com clareza, me sinto andrógena, um ser sem definição, mulher boa parte do tempo mas desempenhando funções que ultrapassam minha condição feminina, e começo a questionar se existe espaço pra ressurgir feminina, delicada...Questiono minha vida, quem me cerca, como me relaciono, o que escuto, como me posiciono diante do outro e da realidade.
Termino o dia exausta, meu corpo dá sinais da minha incapacidade diante de tanto, minha mente fervilha com idéias e ideais.
Quero adormecer e acordar suave, terna e feminina, me encantando com flores e o canto dos pássaros, exalando um perfume suave como jasmim misturado ao vento, radiante e misteriosa como a lua, quero poder ser só mulher, afinal já é tanto!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Mãe é doce


Doce como mel, quente como abraço.

Minha inspiração, luz nos momentos sombrios, certeza de amor incondicional, de porto seguro na tormenta.

Grande amor...eterno, terno.

Mamãe maravilha!!!

Te amo!!!

Vitalidade


Quero manter minha força, descobrir até que ponto posso ir, e se puder pedir mais ter um pouco da energia das mulheres da minha família.

Minha avó materna, vida de lutas, muita garra e personalidade forte!!
Criou suas filhas, mantém sua terra, trabalha, e ainda se mantém lúcida e sábia!! Se a história de herança genética for verdade...Estou bem na foto.